Resfriamento e Refrigeração

Para o peixe e a carne, até mesmo um leve descuido dentro da cadeia de frio pode permitir que a concentração de patogênicos aumente e ponha em risco a saúde dos consumidores.

Carne de bovinos e de aves: resfriamento e congelamento para uma qualidade premium

Após o abate, a cadeia de frio começa - e, com ela, nossa responsabilidade para com o consumidor. A eficácia do resfriamento e do congelamento de carnes e aves é essencial para que o alimento perfeito e saboroso se torne uma mercadoria de sucesso no mercado. A GEA garante, além disso, uma redução eficaz em termos de custos, uma vez que para nós a eficiência energética e os fluidos refrigerantes ecológicos têm prioridade.

Faz parte da nossa atividade resfriar os produtos e processos e transportar as mercadorias na temperatura correta. Atualmente, compartilhamos com a indústria alimentícia uma grande parte das nossas tecnologias, incluindo no setor das carnes, aves e frutos do mar. Ao longo de toda a história humana, as pessoas têm tentado conservar melhor a carne. A salsicha surgiu a partir desses esforços. Sua fabricação também permitiu a exploração eficaz de subprodutos do abate, tais como sangue e vísceras. Já desde a antiguidade que a salsicha tem sido um elemento fixo da nossa dieta. Aperfeiçoadas ao longo dos milênios e caracterizadas pelos sabores típicos nacionais, as salsichas não só figuram na lista de alimentos preferidos de muitas nações: com muita frequência, estão também entre o patrimônio cultural de determinadas regiões. Isso acontece também com as aves, que estão igualmente enraizadas nas tradições de muitos países. Basta pensar no típico peru assado recheado inglês do Natal.

Hoje em dia, uma grande parte das pessoas estão naquela posição privilegiada em que podem selecionar a partir de uma opulenta disponibilidade de carne, segundo os seus desejos - e podem se dar a esse luxo. Durante a Idade Média, no entanto, a carne era um privilégio dos ricos. Como naquele tempo a carne não podia ser congelada, ela era conservada no sal e temperada com ervas. 

No mundo ocidental, a carne pode ser adquirida em qualquer momento e em todos os lugares e, além disso, é fácil de transportar e armazenar. Também é saborosa, mesmo que tenha feito uma longa viagem até chegar à sua mesa, como é normal. Além de uma criação e alimentação corretas e um abate satisfatório, o pré-requisito para a segurança e a boa carne é um processo ininterrupto de resfriamento ou congelamento. O controle da temperatura no início do processo requer uma atenção especial. Por exemplo, se a carne tiver sido resfriada muito rapidamente abaixo de 10°/50°F, isso provoca a contração muscular, o que torna a carne dura e leva à perda de água. Este "encurtamento pelo frio" pode ser evitado se a carne for armazenada cerca de 16 a 24 horas a aproximadamente 16°/60.8°F. O posterior processo de congelamento também tem grande influência na qualidade da carne: quanto mais rápido o equipamento de congelamento atingir as baixas temperaturas, menor serão os danos na retenção de água da carne.

Usando equipamentos de resfriamento e congelamento da GEA, você pode estar certo de que a carne não será apenas saborosa. Nossos sistemas atendem a todos os padrões de higiene e facilitam a construção de uma cadeia de frio. O investimento no gerenciamento adequado do resfriamento, em última análise, paga-se a si mesmo, tanto para sua empresa como para o meio-ambiente. 

Se o assunto é o resfriamento e armazenamento de carnes frescas ou métodos de resfriamento e congelamento para outros processamento de alimentos, nossa profissão exige um considerável "know-how" especializado , assim como uma grande sensibilidade e precisão. Com extremo cuidado, prudência e amor pelos pormenores, nossos engenheiros trabalham na tecnologia de refrigeração adequada para cada tipo de carne e de aves. A GEA simplesmente extrai o melhor dos seus produtos.

No alto mar: A GEA captura o frescor

Em muitos países, os peixes representam a mais importante fonte de proteína. Isto se aplica, por exemplo, em toda a costa oeste da África. Para garantir esse alimento básico para a população africana, a traineira Júpiter do nosso cliente Namsov Fishing Enterprises (Pty) Ltd está de serviço no oceano ao largo da Namíbia. Equipado com redes de arrasto e amplos sistemas de refrigeração da GEA, o barco está em busca de xerelete - com muito sucesso.

A própria natureza ajuda aqui no sentido de uma rica captura: as correntes favoráveis do oceano transportam enormes quantidades de plâncton do Oceano Antártico para o oceano ao largo do sudoeste da África. Os cardumes desses xereletes se nutrem deste plâncton. Ao mesmo tempo, está presente o que há de melhor na tecnologia da refrigeração - afinal, uma maior captura é de pouca utilidade se não for protegida imediata e eficazmente de perecer através do resfriamento e congelamento. As temperaturas relativamente altas no exterior representam um desafio adicional para os sistemas de refrigeração nessas águas.

O Júpiter foi lançado em 1990 pelo estaleiro naval Volkswerft, em Stralsund, na Alemanha. Como as quase duas décadas sobre o alto-mar, tinha alguns danos, o navio foi renovado recentemente. No ano de 2006 a GEA levou seus sistemas de refrigeração
ao mais alto nível tecnológico - com a GEA sendo responsável desde o planejamento até a execução. Hoje, o Júpiter possui uma capacidade de carga de até 2.000 toneladas. A capacidade de congelamento aumentou em cerca de 250%: das originalmente 65 toneladas para uma média atual de 170 toneladas por dia. Para o Júpiter este foi um grande avanço - e quase uma rotina para a experiente equipe da GEA, que está intimamente familiarizada com este tipo de barco (Atlantik 488).

Mas não é só a quantidade que desempenha um papel fundamental: a qualidade é igualmente crítica. Não pode haver qualquer perda de tempo. As criaturas do mar que sobem a bordo tem que ser resfriadas imediatamente após a captura. Se, por exemplo, o Júpiter capturar um cardume de peixes especialmente grande, irá colocá-los em tanques de armazenamento intermediário e pré-resfriá-los ali com água do mar salgada refrigerada ou gelo líquido. Esta técnica é conhecida  como o resfriamento com água do mar refrigerada (RWS) - uma tecnologia na qual a GEA já trabalha arduamente. A GEA forneceu as bombas, os flaps, as válvulas e os acessórios para o sistema de água do mar a bordo do Júpiter. Os filtros eficazes asseguram as condições higiênicas.

Após a triagem automática de xereletes em máquinas especiais, dez freezers com placas verticais entram em ação. Embalados como sardinhas, os xereletes são congelados entre as placas do freezer em práticos blocos com tamanhos de 65 x 250 x 800 mm, com um peso médio de cerca de 10 kg. Em seguida, são acondicionados em caixas de papelão. Este tamanho de blocos de peixe é muito popular nos mercados de peixe da África, uma vez que eles podem simplesmente ser manuseados e transportados por pessoas individuais. Esses blocos de gelo permanecem em salas de armazenamento gigantes e isoladas do barco até a chegada no porto - mantidos a -25°C/-13°F pelo resfriadores de ar da GEA.

Mas não são apenas as pessoas que desfrutam dos benefícios do resfriamento profissional dos apreciados xereletes. Durante a produção de peixe a bordo, um valioso subproduto é criado: a farinha de peixe. A tecnologia de refrigeração da GEA também é usada na produção e armazenamento de forragens de alta qualidade.