Ar condicionado e Refrigeração

As companhias de processamento de alimentos têm uma grande responsabilidade perante o consumidor. Por essa razão, são aplicadas normas sanitárias especialmente rigorosas neste setor. Além das câmaras de ar higiênicas, desinfecção e vestuário especializado, um adequado sistema de tratamento do ar garante um ambiente limpo e seguro.

Sempre na temperatura certa

A refrigeração e o condicionamento de ar das salas estão se tornando cada vez mais importante. Isso já é um dado adquirido em carros, escritórios e bancos - que possuem temperaturas agradáveis até mesmo nos dias mais quentes - mas agora está se tornando cada vez mais desejado na construção de edifícios.  

Especialmente quando se trabalha com carne e peixe crus, é importante garantir a frescura e a estabilidade desses produtos.

Baixa concentração de micróbios - do tempero à selagem

Lidar com alimentos de origem animal requer um cuidado especial com relação a deterioração e aos agentes patogênicos. Por esta razão, os rigorosos padrões de higiene nos matadouros e instalações de processamento de carne desempenham um papel decisivo. Por exemplo, a GEA oferece um sistema que evita a contaminação aérea da carcaça dos animais abatidos. Esse sistema de controle do clima da fábrica monitora a temperatura e a umidade, bem como as cargas de poeira. Ao mesmo tempo, cria um ambiente confortável, sem correntes de ar, para os trabalhadores. Um exemplo deste tipo de sistema é aquele instalado em uma linha de produção avícola de corte e embalagem de coxas de frango.

O sistema de ar condicionado é instalado no teto e consiste de várias caixas misturadoras que filtram todo o fluxo de ar. A distribuição do ar é efetuada na cavidade entre o teto e os pontos de distribuição. Segundo o princípio da baixa turbulência (fluxo laminar), o ar flui de cima para baixo na área de corte e embalagem. Isso reduz a concentração de partículas no ar e nos produtos sensíveis. O ar entra novamente, no fluxo turbulento, junto ao piso e ao teto, e é posteriormente, filtrado na unidade de ar circulante. Em seguida, é reintroduzido no ambiente. Esta operação de recirculação do ar contribui consideravelmente para economizar energia .

A qualidade da limpeza do ambiente, graças ao fluxo laminar, garante a classe 4 da ISO na proximidade imediata dos produtos, e a classe 7 em toda a sala. Além disso, existe uma sobrepressão na sala, a fim de evitar a invasão de ar não filtrado na área de produção. O sistema também providencia o controle da temperatura do ponto de orvalho, para evitar a condensação na superfície do produto.

O processo de corte e embalagem dos pedaços de frango não permite o mínimo descuido em matéria de higiene. Naturalmente, isso também é válido durante o processo de congelamento das peças de carne, que muitas vezes ocorre em freezers espirais. O equipamento da GEA é extremamente fácil de manter: toda a estrutura é feita de aço inoxidável para facilitar as operações de higienização. Além disso, os engenheiros da GEA se dedicaram muito para conceber superfícies regulares e fáceis de limpar, para que os micróbios não fiquem recolhidos nos cantos.