Soluções econômicas para separação

A GEA oferece uma vasta opção de centrífugas e decanteres, tecnologias fundamentais na produção de queijos de massa mole, como quark, cream cheese e double cream cheese

O processo térmico do Quark

O Quark, por exemplo, é produzido através da adição de bactérias lácticas e/ou coalho ao leite desnatado, para fazê-lo fermentar e coagular. As Centrífugas KDE da GEA são usadas para separar os constituintes sólidos do líquido, após a separação pode ocorrer adição de creme de acordo com o conteúdo de gordura desejado. A GEA desenvolveu as suas tecnologias de centrifugação do processo Thermo Quark, de modo a garantir um melhor rendimento e maior vida de prateleira dos produtos em relação aos processos de extração tradicionais. O processo Thermo Quark, que é utilizado hoje em 90% de todas as operações de produção de quark, permite a precipitação das ,nutricionalmente valiosas,proteínas do soro de leite, ligadas a caseínas e quantitativamente adicionado ao queijo de massa mole, aumentando os rendimentos em 10%. O tratamento térmico do leite coagulado aumenta a vida de prateleira do produto em até 30 dias.

A última geração de centrífugas de bicos da GEA foi desenvolvida especificamente para a produção de queijos de massa mole. A tecnologia permite o controle totalmente automatizado da consistência do queijo mole, ou da proporção de matéria seca, melhorando desempenho geral de custos de performance, minimizando as perdas de produto e gerando rendimentos mais elevados. A linha Termo Quark também pode ser usada para melhorar a produção de queijo fresco para mercado institucional.

Enquanto a série KDE de centrífugas GEA é empregada para produção de cream cheese, nossas centrífugas KSE realizam a produção de double cream cheeese - um queijo macio com um teor de gordura de pelo menos 60% (matéria seca) e uma matéria seca total de 40-44%.

Produção de caseína de alta qualidade

Os sistemas de centrífugas, decantar e lavagem da GEA são utilizados para a recuperação da caseína pela precipitação através do coalho ou ácido. A caseína de alta qualidade é produzida a partir de leite pasteurizado clarificado e desnatado, que é aquecido à temperatura de coagulação em um trocador de calor a placas, causando a precipitação da caseína.

A caseína coagulada é separada do soro por decanters, e o soro é então clarificado, resfriado e processado. A caseína bruta é então purificada e secada até um teor de água residual de no máximo 10%. A GEA coloca à disposição um sistema fechado que utiliza uma quantidade muito baixa de água de lavagem, economiza recursos naturais e ao mesmo tempo reduz os custos de produção.