Absorção de gás clorídrico

Na produção de cloro, todas as emissões resultantes, incluindo aquelas provenientes de possíveis decomposições químicas, devem ser coletadas e transportadas para um sistema de depuração de gases. Portanto, uma estação de absorção é uma parte essencial do equipamento padrão.

Em termos gerais, podemos distinguir quatro tipos de emissões:

  • Durante a operação normal, ocorrem vazamentos constantes, como, por exemplo na estação de enchimento.
  • Ao colocar um bloco de células em movimento, toda a produção de cloro dessas células deve ser sugada e absorvida até que elas produzam cloro sem gás praticamente inerte.
  • Se o compressor de cloro ou a unidade de pós-tratamento de gás de cloro sofrer avarias, todo o gás de cloro produzido deverá ser alimentado através da estação de absorção.
  • No caso de vazamentos nos tanques ou de frouxidão nos encaixe dos tubos, a estação de absorção opera como uma unidade de emergência.

A soda cáustica diluída, que ocorre como um subproduto em fábricas de cloro, é usada para absorção na estação de depuração. 

Espera-se que uma estação de absorção limpe o ar de exaustão em todos os quatro casos mostrados acima, para manter a conformidade com valores de emissão legalmente estabelecidos. 

Ela também deve oferecer um nível máximo de segurança operacional. A GEA fornece uma estação de absorção de cloro em três estágios para essa aplicação.

Para combater acidentes em áreas de armazenamento de cloro, em estações de dosagem e durante o transporte do cloro, podemos oferecer unidades de depuração de emergência.