Tratamento de água oleosa

A GEA tem muitos anos de experiência no tratamento de água de porões em navios. O processo desenvolvido também é ideal para uso em terra para o tratamento de água oleosa – proveniente da lavagem de tanques ou porões, por exemplo.

Teor de óleo residual inferior a 5 ppm: Tão bom quanto água pura

oil & water

A água oleosa é resultante da água salgada e de resfriamento, vazamentos de óleo combustível e lubrificante, drenagens de tanques de sedimentação e lodo, efluentes de diversos processos de limpeza e partículas de fuligem e sujeira. Para tratar água oleosa, a GEA utiliza um sistema que, por muitos anos, tem sido muito bem-sucedido no tratamento de água de porões em terra ou a bordo. Em condições normais de alimentação, o teor de óleo residual na drenagem de água limpa é de 10 a 12 ppm. Agregados suplementares permitem que o teor de óleo seja reduzida a menos de 5 ppm. Isso cria efetivamente uma água pura que pode ser retornada ao circuito de água natural. Nenhuma distribuição de alto custo é necessária.

Efeito máximo para o mínimo de esforço

Outro benefício econômico está na recuperação de valiosos recursos de energia. O óleo reciclado do processo de separação pode ser reutilizado como óleo combustível, por exemplo. O óleo lubrificante recuperado pode ser usado como combustível para gerar calor.

Como o sistema também é autolimpante, não é necessário recurso manual. Por outro lado, métodos alternativos, como a separação estática por tanque de sedimentação ou filtração, exigem caras limpezas manuais ou substituições de elementos filtrantes. Produtos químicos também são frequentemente necessários e, estes, além de caros, também podem causar danos ao meio ambiente.

Visão geral de todos os benefícios:

  • Teor de óleo residual inferior a 15 ppm (com agregados suplementares inferiores a 5 ppm) 
  • Menores volumes e custos de eliminação
  • Conceito favorável ao meio ambiente