Tratamento das águas residuais em vinícolas

Grandes volumes de água fresca precisam ser utilizados nas várias fases do processo de produção de vinho para a limpeza necessária de veículos de transporte, tanques de armazenamento, barris de vinho, instalações de filtro e garrafas. As adegas propriamente ditas também precisam ser limpas. Isso resulta em águas residuais com alta carga orgânica contendo folhas de videira, hastes, vermes, sujeira e levedura. Essa mistura começa a fermentar com muita rapidez, o que significa que o clareamento é essencial. O uso da tecnologia de separação centrífuga GEA é muito benéfico não só para manter a higiene, mas também para reduzir os custos.

Econômico e favorável ao meio ambiente

grapes

A separação mecânica dos sólidos é um método ideal e eficaz em termos de custos para a limpeza da água de lavagem. Após a filtragem e o pré-clareamento biológico em tanques de ativação, o lodo residual engrossado é eficientemente dessecado por Decanteres, e o volume do lodo é reduzido. Os sólidos descarregados apresentam uma consistência fluida e podem ser eliminados de maneira econômica.

A água tratada pode ser reciclada de volta ao ciclo de limpeza ou descarregada no sistema de esgotos de maneira favorável ao meio ambiente: o volume do consumo de água tratada municipal diminui, os recursos são utilizados com eficiência e os custos de energia são reduzidos. Dessa forma, a GEA alivia o vinicultor e ajuda a conservar a terra na qual o bom vinho cresceu. 

;