Tratamento do lodo de papel

O processo de fabricação de papel é um dos processos de produção industrial que mais exigem água. Isso porque, sem as propriedades físicas da água, não é possível obter uma estrutura consistente quando os constituintes do papel são processados no lodo. Um nível elevado de consumo de água é inevitável no processamento de matérias-primas naturais (madeira, celulose, fibras vegetais) e também no processo de reciclagem de papel residual. Isso cria um alto nível de águas residuais para processamento. Os resíduos em águas residuais são um problema, particularmente no caso de extração de tinta: o processo de reciclagem do papel residual.

Reduzindo custos e minimizando poluentes com Decanteres GEA

Paper Rolls

Isso demonstra os enormes benefícios de um Decanter GEA, tanto em termos de vantagens competitivas por meio da redução dos custos na indústria do papel como também para a proteção ambiente por meio da minimização de poluentes.

Além dos componentes acima mencionados, outras substâncias químicas também são adicionadas, dependendo da qualidade de papel desejada (por exemplo, branqueadores, tintas ou agentes inibidores de poeira). Essas substâncias devem ser removidas da água residual no final do processo de produção.

Substâncias químicas podem ser reutilizadas

Durante o processo de pré e pós-clareamento, são produzidos lodos primários, secundários e de flutuação que são dessecados individualmente ou em conjunto pelo decantador. Devido à substância seca elevada, os custos de armazenamento e eliminação são reduzidos, o volume de água tratada municipal é minimizado e substâncias químicas caras podem ser reutilizadas em diversas ocasiões – um fator que também tem um impacto positivo sobre o equilíbrio econômico. O lodo dessecado pode ser despejado, seco ou incinerado.

A GEA também fornece equipamentos, como bombas a jato e a vácuo, para o transporte de líquidos, como água e lodo, e sólidos, como fibras, na indústria do papel.