Desde o início, Osmar e Carmen Trevisan buscaram uma forma de melhorar a eficiência, melhorar o bem-estar animal e possibilitar o processamento sustentável de dejetos de sua fazenda leiteira no Brasil. Convencida pela solução holística da GEA, em 2012, a fazenda familiar investiu em um Free Stall da GEA, incluindo sua tecnologia de sistema para gerenciamento inteligente de dejetos. O último projeto da fazenda, uma nova linha de produção para processamento de leite, garante baixo consumo de energia, minimiza a pegada de carbono e adiciona uma garantia de origem: “Para este projeto, a GEA foi novamente selecionada como parceira. “Para tudo, da ordenha à embalagem”, diz o engenheiro de processamento José Rafael Spanos sobre a solução ponta a ponta da GEA.

Parceria de longo prazo com a GEA

Com componentes de tecnologia de ordenha da GEA e gado leiteiro Holandês, a fazenda da família produzia inicialmente 1.500 litros de leite por dia. A possibilidade de um terreno significativamente maior persuadiu a família a mudar sua operação da pequena cidade de Fagundes Varela para Farroupilha, a cerca de 80 km de distância. A fazenda Trevisan produz hoje 13.000 litros de leite por dia com um rebanho de 900 animais, com 370 vacas em lactação.

Aumentando o rebanho com foco na sustentabilidade

Trevisan

Conforme o rebanho crescia no novo local, também crescia o desejo de otimizar as condições de vida do animal. O Free Stall oferece equipamentos amigáveis aos animais de A a Z: ventiladores, sistemas de aspersão, suprimento de água fresca e tapetes de borracha que aumentam visivelmente o conforto dos animais. O ambiente relaxante no estábulo e o bem-estar das vacas têm um efeito positivo na produção de leite. No coração do sistema de processamento de dejetos está a poderosa tecnologia da GEA: Enquanto o sistema de raspador garante continuamente passagens secas e melhora o padrão de higiene no estábulo, a massa resultante é primeiro homogeneizada em sistemas de bomba e agitador. Posteriormente, líquidos e sólidos são processados em separadores, telas e prensas. Como composto valioso e também como fertilizante líquido para o cultivo de grãos, o dejeto líquido processado substitui os fertilizantes artificiais. Além disso, o material de alta energia é usado na própria usina de biogás da Fazenda Trevisan para produzir eletricidade, que pode então ser usada nos processos operacionais da fazenda.

Estrutura operacional vertical e um segundo pilar graças ao processamento de leite

“Processar nosso próprio leite e comercializá-lo com sucesso na região foi outra meta importante”, diz Jean Carlos, um dos filhos de Trevisan, explicando o investimento no laticínio da própria fazenda. A linha de produtos GEA composta por centrífuga, homogeneizador e sistema de pasteurização aumenta o valor agregado da operação e abre as portas para um segmento do setor de laticínios que trará para a agricultura familiar um aumento significativo de renda no longo prazo.

Com este projeto, a operação verticalmente integrada passou a ser nosso diferencial, permitindo-nos fazer tudo dentro da fazenda, incluindo processos de reprodução e produção de ração para as vacas”– Jean Carlos Trevisan

Processando leite na porta ao lado

O laticínio foi instalado ao lado da instalação de ordenha para processar o leite cru em lácteos de alta qualidade no menor tempo possível e embalá-los em recipientes de 1 L e 500 mL. A linha de produção GEA totalmente automatizada otimiza a carga de trabalho do pessoal e garante o uso altamente eficiente e econômico de energia, água e recursos operacionais para controle de processos e higiene da planta. Graças ao processamento do leite diretamente na fazenda, as rotas de transporte são eliminadas e os tempos de resfriamento minimizados, com efeito positivo no impacto ambiental da Fazenda Trevisan.

Planejamento de longo prazo com tecnologia GEA expansível

A planta foi projetada para processar 20.000 litros de leite por dia, com foco principal na produção de leite pasteurizado e homogeneizado. No entanto, o design é tão flexível que a capacidade de produção pode ser expandida no futuro. “As soluções da GEA fazem sentido, pois são eficientes, duráveis e muito robustas, o que compensa na rotina de manutenção mesmo depois de muitos anos de uso”, enfatiza Jean. “Essas garantias só são possíveis porque o nível de inovação e automação da fábrica é muito alto”, acrescenta o chefe de produção, Luciano Persico. “A fábrica é ultramoderna e se tornou modelo para muitas fazendas leiteiras no Brasil. Além disso, o serviço e o suporte da GEA são sempre muito satisfatórios. Todas as etapas de planejamento, implementação, integração de sistemas e suporte pós-venda foram realizadas muito bem.” 

Trevisan

Maior valor agregado graças à tecnologia de processo eficiente

“Produzimos tudo internamente e terceirizamos quase nada graças a uma equipe excelente e bem treinada. Essa é a nossa grande vantagem competitiva”, afirma o entusiasmado Trevisan sobre o sucesso do leite Trevisan, que agora está disponível nos principais mercados do Paraná, Rio Grande do Sul e em partes de Santa Catarina. “Estou muito feliz com a planta planejada e comissionada pela GEA. É projetado para eficiência, garante qualidade e segurança de nossa produção e com implantação ideal de mão de obra, pode ser executado por apenas seis funcionários.”

O sucesso apoia a decisão certa

Ser seleccionada para implementar totalmente um sistema ponta a ponta é a maior prova de confiança e credibilidade que uma empresa pode receber de um cliente. Poucos meses após o início, a fazenda de gado leiteiro familiar já está vendendo com sucesso cinco produtos na região circundante, desde leite integral até leite e creme sem lactose. Seu sucesso prova que a fazenda acertou: A marca Trevisan é sinônimo de sustentabilidade e qualidade dos produtos que os consumidores amam, com origem garantida.

Milk
Voltar