A GEA demonstrou sua capacidade de aplicar sua experiência em resfriamento do processo para atender às necessidades da Linde Engineering North America - como parte de um projeto baseado nos Estados Unidos - desde a fase de produção até a refrigeração e a evaporação.

O cliente

A Linde Engineering North America Inc. (LENA) é um membro do Grupo Linde, uma empresa de engenharia e gás líder mundial. A LENA fornece tecnologia, engenharia, aquisição e construção para plantas de gás sintético, separação de ar e petroquímicas, bem como sua refinaria de Processamento de Fluidos, a Selas, além de equipamentos de combustão petroquímicos.

Sistemas de refrigeração - um requisito fundamental do setor

As refinarias, as plantas petroquímicas e os complexos químicos integrados contam com sistemas de refrigeração em grande escala para o funcionamento regular e seguro das operações do dia-a-dia. Esse sistema geralmente utiliza amônia (NH3) - um refrigerante natural, termodinamicamente eficiente e econômico. 

O desafio do cliente

A Linde encomendou o design e a execução de uma unidade de refrigeração em larga escala, com as funcionalidades capazes de realizar as tarefas de resfriamento em três níveis de temperatura (-37°/-5/+5 °C) para diferentes aplicações de processamento numa planta de produção de amônia.

Considerações

Os processos industriais exigem o armazenamento de amônia em grandes tanques de baixa pressão e em baixas temperaturas. Em locais que experimentam estações de alta temperatura em particular, a transferência de calor ambiente para o tanque de armazenamento é uma consideração importante para os operadores da planta. Um sinal da transferência de calor é a formação de vapor, conhecida como gás evaporado (BOG). O isolamento do tanque é fundamental para limitar os níveis de evaporação a um referencial padronizado.

A solução

Vista do interior da Linde

A solução tecnologicamente avançada da GEA inclui o design de uma unidade de evaporação, especialmente projetada para o fluxo de vapor a partir do tanque de amônia e o flash dos gases, que são gerados quando a amônia re-liquefeita da unidade de evaporação retorna ao tanque de amônia. A solução foi testada em temperaturas ambientes extremamente baixas e altas e para as especificações de projetos tecnicamente exigentes. A capacidade de processamento da unidade de refrigeração da planta de amônia é de 40 t/h, enquanto a unidade de evaporação associada permite serviços de resfriamento para condensar o fluxo de vapor do tanque de amônia durante os períodos de desligamento. O papel da unidade de evaporação é lidar de forma segura com o fluxo de vapor oriundo do tanque de amônia, bem como o flash do gás gerado quando a amônia re-liquefeita da unidade de evaporação retorna para o tanque de amônia.

A unidade de refrigeração da planta de amônia consiste em três compressores de parafusos em três níveis diferentes de pressão para processar diferentes fluxos de vapor de processamento e de permutadores de calor e separadores de tambor relevantes para completar o processo de refrigeração. O pacote de BOG de amônia que foi entregue ao cliente consisti de um compressor de parafuso de amônia para comprimir o gás de amônia e enviá-lo ao condensador. Através do trabalho do compressor, o efeito de refrigeração é alcançado e a carga de calor é transferida a partir de um baixo nível de temperatura a um alto nível de temperatura.

Esta solução da GEA é um exemplo de como nossa experiência em processos de refrigeração baseados em amônia oferece os clientes do mundo todo sistemas personalizados altamente eficientes. O compromisso da GEA com a flexibilidade significa que seus engenheiros podem, se necessário, desenvolver soluções com tecnologias de compressores de terceiros. 

Voltar