Os materiais gerais que lidam com o conceito de APIs potentes são os fatores de controle na determinação do desempenho de contenção de toda a instalação. Há duas escolhas básicas: aço inoxidável ou sistemas descartáveis.

Seleção da tecnologia de produção apropriada

A Parte 1 deste artigo (Fundamentos da contenção) explicou que mais da metade de todos os novos APIs são classificados como potentes (OEL <10 μg/m3) e que as autoridades de saúde e segurança em todo o mundo estão reforçando a proteção para os operadores que trabalham com essas substâncias. O artigo mostrou porque a contenção eficiente é sempre melhor que o equipamento de proteção individual ou os sistemas que dependem do comportamento humano e mostraram como calcular o grau de contenção necessário com base nos limites de exposição ocupacional (OELs), ingestão diária aceitável (ADIs) e limites de contaminação cruzada.

Neste segundo artigo, analisamos como escolher as soluções de contenção dentre a grande variedade no mercado. Um processo de tablete típico tem as seguintes etapas:

  • dispensação do API e excipientes
  • moagem de matéria-prima para destruir aglomerados
  • granulação (úmida) com secagem subsequente
  • moagem seca
  • adição de lubrificantes
  • compressão do tablete
  • revestimento
  • embalagens primárias e secundárias.

IBCs ( recipientes de armazenamento a granel intermediários) com válvulas borboletas divididas são os sistemas de manipulação de material mais comumente usados para APIs potentes. As válvulas borboleta divididas oferecem uma solução comprovada para conexões do tipo "make and break. Elas estão disponíveis em diferentes níveis de desempenho.

Neste caso, todo o material necessário para um lote é carregado em um IBC, na área de dispensação, normalmente sob a cabine de fluxo laminar. O IBC é em seguida movido para a área de granulação onde é acoplado com uma conexão de válvula borboleta dividida para uma estação de descarga, por exemplo. A matéria-prima é, então, carregada no granulador por gravidade (se a altura da sala permitir) ou um transportador a vácuo, com um moinho para remover aglomerados.

Se for preferida uma solução descartável, uma resposta é o sistema de recipiente flexível Hicoflex® da GEA. Os excipientes são manipulados em um recipiente convencional, embora o API seja pesado dentro de uma caixa de luvas e, em seguida, transferido por funil em uma bolsa Hicoflex® abaixo. Ambos os recipientes estão conectados via moinho integrado à entrada do granulador.

Granulador e prensa de tablete

Há várias opções para a etapa de granulação, mas o uso de APIs potentes restringe um pouco as opções. Os APIs potentes geralmente significam que somente uma pequena porcentagem da formulação é de API, e tais receitas não são apropriadas a métodos secos, como compactação por rolo; as máquinas são difíceis de construir de modo contido e frequentemente há problemas na obtenção de uma distribuição uniforme do API. Como resultado, a granulação úmida é preferida. Há quatro opções principais: 

  1. uma linha integrada consistindo em um granulador de alto cisalhamento e um leito fluidizante
  2. granulador de spray de leito fluidizante
  3. granulação e secagem contínuas
  4. processamento de lote único.

A vantagem da opção 1 é que ela permite que o granulador mais eficiente seja combinado com o secador mais eficiente para obter um processamento alto. A granulação de alto cisalhamento também evita qualquer problema com separação de material, que pode ser desafiador quando APIs micronizados são usados. Outra vantagem é a resistência do processo de granulação que oferece, por exemplo, a capacidade de compensar as variações na qualidade da matéria-prima ao ajustar os parâmetros de processo.

Uma desvantagem é o fato de que esta configuração normalmente envolve um tempo de inatividade relativamente longo, durante a troca do produto. Ele também requer um granulador de alta qualidade. Os sistemas com bons impulsores, por exemplo, garantem uma distribuição rápida e uniforma do líquido de granulação. Isso evita problemas subsequente com secagem desiguale e tempo estendido para moer os grânulos após a secagem.

A granulação de spray por leito fluidizante (opção 2) é uma operação de lote único, sendo uma enorme vantagem ao lidar com substâncias potentes. Este processo também cria o material com uma alta porosidade intergranular e excelente comportamento de compressão. Usando o sistema FlexStream™ desenvolvido pela GEA, os grânulos também mostram excelentes propriedades de fluidez, garantindo um enchimento homogêneo das matrizes durante a compressão. Para limpeza, os filtros podem ser umedecidos e removidos com risco mínimo de contaminação dos operadores ou do meio ambiente. A parte restante do processador pode ser limpa no local.

As linhas contínuas, como a ConsiGma™ da GEA (opção 3) oferecem uma boa alternativa aos sistemas de lote convencionais. Os únicos possíveis problemas são: primeiro, a maioria das receitas existente foram desenvolvidas para máquinas em batelada e, segundo, a limpeza automática para granulação contínua existente e sistemas de secagem ainda não são tecnologias comprovadas. Os sistemas contínuos conectados oferecem vantagens significativas, no entanto, é uma boa ideia acompanhar os desenvolvimentos futuros. A solução ideal para a granulação do API potente é oferecida pelo lote único(opção 4). Isso combina as vantagens do processo de um granulador de alto cisalhamento com uma área de superfície mínima e instalação embutida de CIP para oferecer tempos de troca extremamente rápidos.

Após a granulação, a fase externa precisa ser adicionada. Isso é mais fácil se os granulados secos forem descarregados via moagem integrada em um IBC. Após a adição da fase externa, a mistura homogênea é alcançada ao virar o IBC em um misturador de contenção. Este IBC também pode ser usado para alimentar a prensa de tablete. Para a compressão de materiais potentes, a linha de prensas de tablete MODUL™ da GEA oferece uma solução incomparável.

Voltar