A GEA desenvolveu e forneceu com sucesso o primeiros container com skids.

Plataforma nas águas do Alasca adaptadas com o sistema de drenagem de água.

Com dois skids de centrífuga para o tratamento de drenagemda de água, a GEA entregou a primeira estação de adaptação à indústria de petróleo e gás. Durante a perfuração em busca de petróleo, a água de drenagem é coletada nas plataformas em grandes volumes e então é transmitida para grandes tanques junto com outras águas residuais. Em conformidade com as Normas IMO MEPC.107(49), essa água contaminada não deve ser drenada para o oceano antes do tratamento e desolificação correspondente.

Skids com centrífuga economizam tempo e dinheiro

A eliminação de drenagem de água em terra está associada a altos custos e tomada de tempo e, portanto é necessário que a separação seja realizada na plataforma de perfuração. Por esse motivo, o uso de plataformas de perfuração nas águas do Alasca exigiu uma adaptação da estação de tratamento de drenagem de água, garantindo um teor de óleo residual na água drenada em menos de 5 ppm. Para essa finalidade, a GEA projetou uma estação com um Decanter de alto desempenho para a extração de sólidos, bem como um separador para a remoção de óleo residual. O recurso especial aqui é o conceito de adaptação: Ambas as centrífugas, incluindo equipamentos periféricos, foram entregues em um contêiner, cada uma já pronta para operação. A tubulação de conexão necessária entre os contêineres também fez parte do escopo da entrega. Depois que o cliente monta a linha de abastecimento, os skids podem ser colocados em operação diretamente no convés, ao estilo "plug & play", por assim dizer. Essa possibilidade de adaptação convenceu o cliente não só pelo seu manuseio simples, como também pelo seu enorme benefício de custo e tempo.

Além disso, a garantia de menor teor de óleo residual melhorou a taxa de fretamento do navio de perfuração e, por esta razão, a estação de adaptação se auto paga em pouco tempo.

Voltar