Processamento de cristais de insulina

Com o aumento dos casos de diabetes e o mercado de insulina global com previsão de valer mais de US$ 32 bilhões até 2018, a demanda para tecnologias da GEA de produção desse medicamento indispensável para a vida, que atualmente já é alta, tem tendência de crescimento, especialmente em novos mercados e economias emergentes.

Processamento de líquidos estéreis

A GEA produz e fornece linhas e sistemas para a produção de produtos líquidos para as indústrias farmacêuticas e biotecnológicas e tem um histórico comprovado e bem sucedido de instalação de fábricas para a produção de insulina, incluindo a engenharia, entrega, comissionamento e qualificação de sistemas de meio ultrapuro, bem como diversos equipamentos de processo e instalações de limpeza.

Produção de insulina

A produção biossintética de insulina humana é feita com células de bactérias ou leveduras. Após a fermentação, ou a conversão das matérias-primas químicas pelos micro-organismos, a biomassa é extraída (em uma concentração constante) através de um separador centrífugo de bicos, lavada, concentrada e finalmente precipitada para produzir cristais de insulina. 

A vantagem da GEA

Fermentador padrão

Líder em tecnologia mundial na produção de insulina, a GEA é capaz de fornecer sistemas utilitários limpos e gerenciar a integração de todos os processos principais, incluindo fermentação, coleta, cromatografia, filtração e liofilização.

As centrífugas e linhas de processo fornecidas pela GEA têm histórico comprovado nas etapas de clarificação, separação, concentração e fracionamento. As centrífugas de bicos também têm um papel importante no processo de produção. Além disso, o equipamento da GEA é usado nos estágios de cristalização subsequentes, incluindo os separadores de câmara e os separadores autolimpantes.

A GEA é uma fornecedora exclusiva de uma variedade de fermentadores, preparação de meios, armazenamento de tampões, soluções na coleta e ruptura de células, equipamentos para purificação e isolamento de células, separação (após ambas primeira e cristalização final), produção e distribuição de água para injeção (WFI), soluções de Limpeza local (CIP) e tecnologias de liofilização, sendo que tudo pode ser instalado e integrado em uma instalação de produção de insulina com tecnologia de ponta.