Processamento de pelets farmacêuticos

Os pellets oferecem muitos recursos adicionais, se comparados com os tabletes convencionais. A GEA é capaz de oferecer uma linha abrangente de processos de peletização e ajuda você a selecionar o procedimento mais adequado às suas necessidades.

Peletização

Nossas soluções de peletização incluem a extrusão e a esferonização, produção por revestimento de pó e de liquido, bem como a peletização por derretimento e granulação úmida.  

Desenvolvimento de processo e produto

Cápsulas com redes de pellets amarelos

De acordo com o nosso forte compromisso de desenvolvimento de processo, os centros farmacêuticos tecnológicos da Bélgica, Dinamarca, Suíça, Reino Unido, Singapura, China e EUA fornecem suporte técnico global e know-how às indústrias de ciências para a vida. Nossa equipe experiente pode ajudar no desenvolvimento, otimização e transferência de processo e os nossos centros de teste e aplicação modernos podem produzir as formas de dosagem farmacêuticas para estudos clínicos. Os clientes também podem alugar ou contratar um equipamento para realizar dentro de casa os trabalho de desenvolvimento de processo do produto e viabilidade.

Princípios do processo de peletização

Rede Integrada Nica


Revestimento líquido dos pellets:
 A PRECISION-COATER™ multifuncional e os sistemas de revestimento em spray superior podem ser usados para fabricar pellets revestindo o material ativo em um revestimento inerte. Pellets na forma inicial de granulado são borrifados com uma solução ou suspensão do material ativo e secos simultaneamente.

Revestimento em pó dos pellets: Quando o ingrediente ativo está em forma de pó, a peletização pode ser obtida ao borrifar os pellets iniciais com o pó ativo e, ao mesmo tempo, uma solução aglutinante líquida. Os pellets revestidos são, em seguida, secos.

Peletização por granulação derretida: A peletização por derretimento pode ser feita usando o processador de pellets PMA™ ou o processador de vaso único ULTIMAPRO™. Os pós ativos e aglutinantes são misturados e aquecidos a uma temperatura acima do ponto de derretimento do aglutinante. A granulação e a peletização são realizadas em uma única operação. 

Esse é um processo muito rápido e verdadeiramente de vaso único, durante o qual a camisa de aquecimento ou opcionalmente energia de micro-ondas pode ser usada para derreter os pós. Revestimentos de polímeros especiais também estão disponíveis para minimizar a aderência. As aplicações incluem a formação de pellets de 0,5 a 2,0 mm de diâmetro em bateladas de até 150 kg. Ao selecionar o material aglutinante apropriado, as formas de liberação existentes podem ser desenvolvidas sem revestimento adicional. 

Peletização por granulação úmida: A substância ativa é misturada com celulose microcristalina (5% a 30%) e a mistura é granulada com água ou solvente orgânico. Durante o processo, os grânulos são compactados e esferonizados. Esta operação pode ser realizada usando o processador de pellet PMA™ ou o ULTIMAPRO™.

Novamente, os revestimentos de polímeros podem ser usados para minimizar a aderência e propulsores específicos podem ser selecionados para qualidade de pellet ideal. Pellets extremamente redondos (0,5 a 2,0 mm de diâmetro) podem ser produzidos em bateladas de até 150 kg.

Extrusão e esferonização: O sistema de peletização NICA™ é uma planta de produção de pellet completa que combina um misturador/granulador, extrusor e esferonizador em um processo único e integrado. O pó úmido passa por um extrusor radial de baixo cisalhamento; as extrusões são fragmentadas e peletizadas no esferonizador.

O processo é rápido, robusto, contínuo é facilmente escalonável. Unidades autônomas e sistemas completamente integrados estão disponíveis. Altas cargas de medicamentos podem ser processadas e a integração com os equipamentos de upstream e downstream é possível. Os tamanhos de pellet previsíveis de 0,5 a 3,0 mm podem ser obtidos a até 300 kg/h.